sexta-feira, 23 de julho de 2010

Diaconia I 4ª Aula


DIACONIA I
DESAFIOS ATUAIS À DIACONIA

DIACONIA PROFETICA: Os profetas do antigo testamento eram, em sua maioria, pessoas incomodas. A sua fala nem sempre, ou quase nunca, agradava as pessoas poderosas, que de certo modo, tinha em suas mãos o destino da humanidade. A função do profeta é, a partir de sua visão de mundo e de ser humano, levantar a sua voz de denúncia e de anúncio.

DIACONIA LIBERTADORA: liberdade e libertação, são termos muito pronunciados em nossa sociedade. Perguntamos: de que, de quem e para quem que precisamos libertar? Toda a diaconia na igreja cristã deve ter um cunho libertador. Libertação através da AÇÃO.

DIACONIA ECOLÓGICA: “... E VIU Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom ...”(Gn. 1:31).

DIACONIA TRANSFORMADORA: A fé cristã tem sua base na TRANSFORMAÇÃO. Transformar pressupõe mudanças.

LIMITAÇÕES DA DIACONIA

A Atuação da diaconia enfrentando o desanimo e a frustração, por encontrar limitações na ação diaconal. Encontramos três razões para persistir na ação diaconal.

A)É DEUS QUEM NOS CONVOCA PARA SERVIR. ELE NOS CAPACITA PARA O SERVIR COM ESPÍRITO DE PODER, DE AMOR E MODERAÇÃO(2Tm.1:7)

B)A DIACONIA NÃO ESTÁ SOZINHA, MAS EM PERCERIA COM MUITOS OUTROS AGENTES DE TRANSFORMAÇÃO. IMPORTANTE É ASSUMIR NOSSA PARCELA DE COMPROMISSO E AÇÃO.

C)A AÇÃO DIACONAL SEMPRE TEM UM VALOR COMO SINAL. SINALIZA A FÉ, O AMOR E A ESPERANÇA CRISTÃ. POR MEIO DE SINAIS, AINDA QUE SEJAM PEQUENOS APARENTEMENTE, O REINO DE DEUS É ANUNCIADO

RECURSOS LIMITADOS: Nessa perspectiva é possível falar honestamente sobre as limitações da diaconia e ainda permanecer animado.

Recursos Humanos:

Recursos Financeiros:

CRIANDO PRIORIDADES: Para estabelecer prioridades é necessário ter-se um bom planejamento estratégico. A diaconia priorizará aquele que for mais necessitado. Como:

A)APREOCUPAÇÃO COM O SER HUMANO:

B)PRIORIZANDO O BEM-ESTAR SOCIAL:

C)A DIACONIA DESTACA-SE DA AÇÃO MERAMENTE DE ASSISTENCIA SOCIAL, PELO AGENTE (FÉ-DEUS).

D)TRABALHO DE CONSCIENTIZAÇÃO E PREVENÇÃO: Esta estenderá as mãos cooperativamente a outras iniciativas já exstentes.

DIACONIA E RESPONSABILIDADE PÚBLICA: Vemos na história que o governo assumiu muitas vezes a assistência as pessoas pobres, necessitadas, providenciando recurso. Mas muitas vezes, o governo também passou aos conventos, à Igreja, essa responsabilidade.

Iniciando um bom trabalho Diaconal

Com tantas necessidades houve e há pessoas que começaram por algum ponto e fizeram algo importante. Os trabalhos iniciados modestamente e que chegaram a milhares de pessoas e continuam atendendo ainda hoje em tantos países do mundo.
A diaconia não tem a responsabilidade de fazer tudo. A diaconia sempre fa´ra um atendimento parcial. Ela procurará trabalhar de mãos dadas com iniciativas existentes exemplo:

1) trabalhos com anciãos
2) Com Alcoólatras
3) Com Aidéticos
4) Com Crianças de Rua
5) Com Drogados, etc.

ESPIRITUALIDADE DIACONAL: A palavra Espiritualidade, vem de Espírito. No Hebraico significa “SOPRO”. Espiritualidade é deixar o Espírito soprar, é receber este sopro DIVINO, experimentar uma comunhão muito íntima com DEUS.
DIMENSÃO CONTEMPLATIVA: Inclui a oração, reflexão, mediação, louvor, canto, celebração e culto.

DIMENSÃO DE AÇÃO: é conseqüência da contemplação, da percepção do sopro do Espírito.

LEITURA DIACONAL DA BÍLBIA: a inspiração da ação diaconal encontra-se na Bíblia Sagrada. A importância da Bíblia para a diaconia, porém não pode ser limitada a certos motivos ou temas. Qual seria sua leitura? Exemplos:

1.Método da leitura diaconal:caracteriza-se por duas raízes: A fé Cristã e A Realidade Humana.

2.Temas da leituras diaconal:

3.Metodologia Diaconal:

4.Formação Diaconal:

5.Formação de Obreiras e Obreiros Diaconais:


Fontes de Consulta:

NETO,Rodolfo Gaede. A Diaconia de Jesus,Editora Paulus,São Paulo/SP.2001.
NORDSTOKKE,Kjell(org),Diaconia: Fé em ação,Editora Sinodal, São Leopoldo/RS.1995.

Teologia do Culto II "Shema de Israel"


TEOLOGIA DO CULTO II


Shemá Israel (em hebraico שמע ישראל; "Ouça Israel") são as duas primeiras palavras da seção da Torá que constitui a profissão de fé central do monoteísmo judaico (Devarim / Deuteronómio 6:4-9) no qual se diz שמע ישראל י-ה-ו-ה אלקינו י-ה-ו-ה אחד (Shemá Yisrael Ad-nai Elokêinu Ad-nai Echad - Escuta ó Israel, Ad-nai nosso D-us é Um).
Escuta ó Israel, Ad-nai nosso Deus é Um.

(Em voz baixa diz-se) Bendito é o Eterno e que seja bendito para sempre.

•(Ve'Ahavta) Amarás o Eterno, Teu Deus, com todo o teu coração, com toda a tua alma e com todas as tuas forças. Estas coisas que eu te ordeno no dia de hoje estarão sobre o teu coração. As ensinarás diligentemente aos teus filhos e falarás delas quando estejas sentado em tua casa e quando andes no caminho, ao deitar e ao levantar. As atarás por sinal sobre a tua mão e serão filactérias[tefilin] entre os teus olhos. E as escreverás sobre os marcos [mezuzá]da tua casa e sobre os seus portões.

•(Veaia im Shamoa) E sucederá que se obedecerem aos mandamentos que Eu lhes ordeno hoje, de amar ao Eterno, Seu Deus, e de servi-Lo com todo o teu coração e toda a tua alma, então eu darei à tua terra a chuva no seu momento próprio, as chuvas prematuras e as tardias, para que recolham o grão, o mosto e o azeite. Eu darei erva a teus campos para o teu gado, e comerão e se saciarão. Cuidem, não seja que se deixe seduzir vosso coração e se apartem e sirvam a deuses estranhos e se prostrem ante eles. Então se acenderá a ira do Eterno contra vós; Ele reterá os céus para que não haja chuvas e a terra não produza o seu fruto. E serão exterminados rapidamente da boa terra que o Eterno lhes entrega.

Ponham estas Minhas palavras nos vossos corações e nas vossas almas; atem-nas por sinal em vossas mãos e sejam tefilin entre os teus olhos. As ensinarás aos teus filhos, para falar delas quando estejas sentado em tua casa e quando andes no caminho, ao deitar e ao levantar. As escreverás sobre os marcos da tua casa e sobre os teus portões, a fim de que se multipliquem os dias dos teus filhos sobre a terra que o Eterno jurou entregar a teus antepassados, como os dias do céu sobre a terra.

•(Vaiomer Ad-nai) O Eterno falou a Moisés, dizendo: Fala aos filhos de Israel e diz-lhes que façam franjas nos cantos de suas roupas ao longo das suas gerações. E ponham sobre a franja um cordão de cor azul. E serão tzitzit para vós, para que o vejam e se lembrem de todos os mandamentos do Eterno e os cumpram e não explorem atrás dos vossos pensamentos nem detrás dos vossos olhos, nos quais vocês se corrompem. A fim que recordem e cumpram todos os Meus mandamentos e sejam santos para o vosso Deus.

Eu Sou o Eterno, vosso Deus, que vos saquei da terra do Egito para ser o vosso D-us. Eu Sou o Eterno, vosso Deus.

História

Originalmente, o Shemá constituia-se de um único verso (Devarim / Deuteronômio 6:4-9-ver Talmud Sukkot 42a e Berachot 13b).
Atualmente sua recitação envolve três porções: Devarim / Deuteronômio 6:4-9, Devarim / Deuteronômio 11:13-21, e Bamidbar / Números 15:37-41 que constituem a base principal da fé judaica. Seguindo o mandamento de dizer Shemá "ao deitares-te e ao acordares", a leitura de Shemá é parte das rezas judaicas da noite (Arvit) e da manhã (Shacharit).

Shemá

שמע ישראל י-ה-ו-ה אלקינו י-ה-ו-ה אחד
Shemá Yisrael Ad-nai Elokêinu Ad-nai Echad
Escuta ó Israel, Ad-nai nosso Deus é Um.
Devarim / Deuteronômio 6:4

Teologia do Culto II


TEOLOGIA DO CULTO II
Adoração na sinagoga

AS SINAGOGAS NA ÉPOCA DO NOVO TESTAMENT0

As escrituras dão a impressão de muitas sinagogas existentes na Palestina. Jesus freqüentemente ensinava em sinagogas (veja Mateus 4:23; Mateus 9:35), especialmente durante o seu ministério Galileu. Em João 18:20, Jesus falou em seu julgamento diante do sumo sacerdote: "Eu tenho falado abertamente ao mundo; eu sempre ensinei nas sinagogas e no templo, onde todos os judeus se congregam," (RSV). O livro de Atos se refere a sinagogas em Jerusalém (Atos 6:9), Damasco (Atos 9:2), Chipre (Atos 13:5), Antioquia (Atos 13:14; 14:1), Macedônia e Grécia (Atos 17:1, 10, 17; 18:4) e Éfeso (Atos 19:8)

A FORMA DE ADORAÇÃO NA SINAGOGA

Os evangelhos e o livro de Atos geralmente falam da reunião do povo judeu no sábado para adorar na sinagoga. As pessoas também se encontravam para adorar no segundo e no quinto dia da semana. O culto na sinagoga começava com a confissão da fé recitando Deuteronômio 6:4-9, ( Shemá Israel (em hebraico שמע ישראל; "Ouça Israel") 11:13-21 e Números 15:37-41, seguido de oração e leitura das escrituras. A leitura da lei era básica (veja Atos 15:21). Os profetas também eram lidos, mas mais casualmente. Em seguida iniciavam as interpretações. Conforme o conhecimento do hebraico bíblico foi diminuindo na Palestina, uma tradução em aramaico das escrituras era lida depois da leitura em hebraico. Depois disso um discurso era dado. Qualquer um que fosse qualificado poderia falar ao povo, como fazia Jesus e o apóstolo Paulo. O culto terminava com uma benção.

O ENSINAMENTO DA LEI

A leitura da lei era o significado central de adoração. Os ensinamentos da lei, especialmente para crianças, era intimamente associada com a sinagoga.

ORGANIZAÇÃO

O Novo Testamento se refere (Marcos 5:22, Lucas 13:14; Atos 18:8, 17) a dois cargos em particular na sinagoga. O "governador da sinagoga" que era responsável pela ordem e pela seleção do leitor da escritura. Um atendente (Lucas 4:20) tirava e guardava os rolos da escritura. Mais tarde uma pessoa foi escolhida como líder de oração.


O CULTO CRISTÃO UMA NOVA FORMA DE ADORAÇÃO NA IGREJA PRIMITIVA

Os primeiros cristãos foram judeus. Por isso não admira que tenham tomado de sua matriz judaica muitos elementos para o seu culto. At 2,46 diz: "Dia após dia, unânimes, mostravam-se assíduos no templo e partiam o pão pelas casas, tomando o alimento com alegria e simplicidade de coração". Continuaram a participar do culto no templo de Jerusalém, acrescentando uma refeição cristã especial.
Mas pouco a pouco os cristãos entenderam que os sacrifícios do templo não eram mais necessários, visto que a morte de Jesus fora o sacrifício definitivo, oferecido pelos pecados uma vez por todas, Assim começaram a afastar-se do culto do templo, especialmente depois que surgiram conflitos entre judeus e cristãos. Mas por várias décadas muitos cristãos judeus continuaram a freqüentar as sinagogas. Paulo habitualmente começava a sua pregação pela sinagoga da cidade que. Visitava e ali participava do culto, enquanto não fosse forçado a abandoná-la. Particularmente dois aspectos do culto judaico influenciaram o Culto Cristão:

a) O Rito da Páscoa refletido na Ceia do Senhor,

b) O Serviço Sinagogal que com sua Leitura da Bíblia, Orações e Sermão serviu de Modelo para o Culto Cristão Primitivo (Hb 7,23-27; At 17,1-8).

NOVA LITURGIA CRISTÃ
A Ceia do Senhor

Jesus instituiu esta refeição comunitária no contexto da celebração da Páscoa, durante a última ceia feita com os apóstolos. Na festa da Páscoa, as pessoas recordavam a libertação do Egito, no passado, e pensavam no advento do reino de Deus, no futuro. Não se tratava simplesmente de uma comemoração, mas também, e sobre tudo, da experiência viva e contínua da salvação oferecida por Deus na esperança da libertação plena e definitiva. Também a ceia do Senhor volta-se ao passado e nos recorda, com o pão e o - vinho, o acontecimento da morte de Jesus. Além disso, olha para o futuro, para o seu retorno. "Anunciareis a - morte do Senhor até que ele venha" diz a Paulo. Mas ao mesmo tempo proclama a sua presença salvífica no pão e no vinho da mesa eucarística.
A ceia pascal começava com uma bênção, uma ação de graças a Deus pelo pão. Depois eram distribuídos pedaços de pão aos convivas. 0 mesmo gesto realizado na celebração cristã não só lembra, mas torna sacramentalmente presente o corpo de Jesus, que foi "dado por vós". A Ceia terminava com o beber de uma taça de vinho. Na cerimônia cristã o vinho é o sinal eficaz do sangue (da morte) de Cristo. A sua morte é sacrifício que sela a nova aliança entre Deus e o homem, assim como a antiga aliança fora selada pelo sangue do novilho sacrifical (Ex 24,5-8). Por isso Jesus disse: - "Este é o meu sangue... da aliança". Aqueles que participam dessa refeição sagrada declaram a sua lealdade ao Senhor, que criou a nova aliança.
O vinho, além disso, faz referência ao futuro reino de Deus, representado como banquete. Jesus disse: "Doravante não beberei do fruto da videira, até que venha o reino de Deus".

No livro dos Atos a ceia do Senhor; é chamada de "fração do pão" (refeição de comunhão), expressão usada pelos judeus para indicar a bênção do pão, mas que no cristianismo se tornou expressão técnica para indicar a eucaristìa. Originariamente esta fazia parte de uma refeição verdadeira. Os cristãos de Corinto traziam consigo os seus próprios alimentos, para consumi-los em conjunto. Paulo ainda viu outra significação na participação do pão. Os cristãos participam de Cristo assim como participam do pão e, além disso, participam do "Corpo de Cristo", a Igreja. A divisão e a desunião na Igreja negam a verdade representada pelo pão.
Por fim a ceia do Senhor passou das casas particulares dos cristãos para Edifício Especial, onde não fazia mais parte de verdadeira refeição. Orações e hinos cristãos derivados dos serviços sinagogais foram acrescentados às cerimônias. O primeiro documento que fala das orações recitadas durante a Ceia do Senhor (ou eucaristia) (Mt 26,26-30; Mc 14,22-26; Lc 22,14-20; At 2,46; 20,7; ICor 11,20-34: 10.16-17).

Batismo

O segundo rito que Jesus ordenou a seus discípulos observar foi o batismo dos convertidos. Também este tem fundo judaico. No período entre o Antigo e o Novo Testamento, aqueles que se convertiam à religião judaica (prosélitos) eram batizados imergidos em água, geralmente num rio das proximidades, como sinal de purificação. Também João Batista batizou a muitos, como sinal do seu arrependimento e de sua purificação interior operada por Deus.
Mas o batismo cristão não era visto só como "loção do pecado". Paulo explica que quando alguém batizado desaparece debaixo da água e depois reemerge, por simbolismo eficaz, passa através da morte e da sepultura para a ressurreição. Pelo batismo os cristãos participam da morte e ressurreição de Jesus: "Pelo batismo nós fomos sepultados com ele na morte para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também nós vivamos vida nova".
A narração mais completa de um batismo no Novo Testamento é a da história de Filipe e do etíope. At. 8,37 apresenta uma antiga forma de palavras que os primeiros cristãos usaram. O pregador diz: "Se crês de todo o teu coração, podes ser batizado". O batizando responde: "Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus". Às vezes as pessoas eram batizadas em nome de Jesus Cristo, outras vezes, em nome do "Pai, do Filho e do Espírito Santo". (Mt 28,19; Mc 1,4-11; Rm 6,3-4; At 8,26-39; 2,38; 19,5).

A Oração

Além das orações particulares de indivíduos, o Novo Testamento menciona freqüentemente grupos de cristãos que oram juntos. Desde o princípio os cristãos participavam da "fração do pão e das orações". Oravam para ter coragem quando o Grande Conselho judaico proibiu Pedro e João de pregarem. Oraram pela libertação de Pedro do cárcere. Oraram pelo sucesso do trabalho missionário de Barnabé e Paulo. Essas orações eram espontâneas, mas todas revelam o espírito e a linguagem do Antigo Testamento. Algumas palavras usadas nas orações dos primeiros cristãos ainda nos são conhecidas.

• Maran atha (lCor 16,22) - São duas palavras aramaicas que significam: "Senhor nosso, vem". Eram dirigidas a Jesus, invocado com o nome de Senhor, o nome reservado pelos judeus somente para Déus. Maran atha reaparece na última oração da Bíblia: "Amém! Vem, Senhor Jesus!"

• A palavra abba (Mc 14,36) foi usada pelo próprio Jesus, dirigindo-se ao Pai. É termo aramaico que significa "pal querido" ou "papai". Era usado pelas crianças ao falar com o pai. Mas no ambiente judaico seria considerado irreverente usá-lo para dirigir-se a Deus. Em seu lugar era usado abinu, "pai nosso". Mas o relacionamento de Jesus com Deus era tão íntimo, que não só ele usou esta palavra familiar e afetuosa, mas também estimulou os seus discípulos a fazerem o mesmo. A palavra ocorre duas vezes nas cartas de Paulo. "Recebestes um espírito de filhos adotivos, pelo qual clamamos: Abba! Pal!". "E porque sois filhos, enviou Deus aos nossos corações o espírito do seu Filho que clama: Abba, Pai!'

• Amém - É palavra hebraica usada no culto do templo e da sinagoga, na conclusão das orações. Significa: "É certo" ou também "Não há dúvida sobre isto". Assim no culto celeste descrito no Ap 5, quando se eleva o grito: "Digno é o cordeiro imolado de receber o poder, a riqueza, a sabedoria, a força, a honra, a glória e o louvor", a oração é concluída com um grande "Amém". A palavra "Amém" conclui uma oração em Rm 15,33, uma bênção de Deus em Rm 9,5, uma expressão de louvor em GI 1,5 e uma benção dirigida aos cristãos em Gl 6,18 (At 2,42; 4,24-30; 12,5; 13,3; Ap 22,20; Rm 8,15; GI 4,6; Ap 5,12-14; ICor 14,16).

Profissões de fé e Hinos

A Igreja do Novo Testamento era uma comunidade que acreditava em determinadas verdades fundamentais. o ensinamento dos "apóstolos" ou a "verdadeira doutrina" ou "as palavras verdadeiras". Tais artigos de fé foram expressos não só nos escritos neotestamentários, mas também no culto, sendo freqüentemente cantados sob a forma de hinos.
Alguns dos credos cristãos primitivos eram muito simples e breves. A fórmula básica era: "Jesus é o Senhor". Provavelmente eram.essas as palavras pronunciadas pelos neoconvertidos. Outras contêm duas ou três afirmações de fé: "Há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, o homem Cristo Jesus"; "um só Senhor, uma só fé, um só batismo".
Às vezes os autores do Novo Testamento citam claramente declarações da fé cristã primitiva. 1Tm 3,16 é um credo em forma de hino (semelhante ao nosso Te Deum):
"Ele foi manifestado na carne, justificado no espírito, contemplado pelos anjos, proclamado às nações, crido no mundo exaltado na glória".
Uma profissão de fé ainda mais pormenorizada da pessoa e da obra de Cristo é apresentada por Paulo em Fl 2,6-11. O hino termina com a profissão do neoconvertido: "Toda língua confesse: Jesus é o Senhor". Talvez fosse uma fórmula cantada durante a cerimônia do batismo (At. 2,42).

2ª aula DIACONIA


DIÁCONIA, BUSCANDO SUA IDENTIDADE NA
IGREJA DA ATUALIDADE

O crer em Deus torna-se uma característica basilar do Cristão. Através da fé que identificamos a diaconia. Neste prisma consideramos O PAPEL DA IGREJA DE CRISTO:

VIVER DESAFIOS
QUESTINAR INJUSTIÇAS
QUESTIONAR DESAMOR
ABERTA A PESSOAS DIFERENTES
VIVER O AMOR AO PROJETO DE DEUS

O projeto de Deus abrange a áreas específicas de atuação para a humanidade:

PAZ - JUSTIÇA
FRATERNIDADE - DIGNIDADE
RESPEITO - COMPREENSÃO
COOPERAÇÃO - AMOR

A fé assume algumas características PRÓPRIAS, como Crer em algo que não se vê, ou em alguém; mas nasce a confiança. Suas DIMENSÕES:

A) CONFIANÇA: Hc. 2:4 ... O justo pela fé viverá...
Hb. 10:38 ... O justo viverá da fé...
Rm. 10:17 ... A fé pelo Ouvir... Pela Palavra de Deus...

B) CERTEZA: Hb 11:1 A fé é o firme fundamento...

C) GRAÇA: Jo. 3:16 AMOR incondicional.

DIÁCONIA, BUSCANDO SUA IDENTIDADE NA
IGREJA DA ATUALIDADE

FÉ COMO NATUREZA DIACONAL
Ter comunhão com Deus, a comunicação pela oração nos leva a:

TER AMOR E SENSIBILIDADE
VER O SOFRIMENTO DO IRMÃO
DA CORAGEM NESTE PROPÓSITO
LEVA AO ENGANJAMENTO DIACONAL

IDENTIDADE DA IGREJA DIACONAL

Na Bíblia Jesus é o exemplo do que serve “DIACONIA”, para tanto em muitas passagens ele coloca-se como agente incondicional de Deus para minimizar os sofrimentos dos homens.
JESUS o diácono por excelência

A) Principio diaconal de Jesus: seus valores são inesperados para seu tempo, no principio de sua vida: diz Jesus: “... não sabeis que convêm tratar dos negócios de meu Pai?” (Lc. 2:49). Estes valores ainda são expressos em Lc. 22:24-30 , “... No meio de vos eu sou como o que serve..”. Princípios dos VALORES DE JESUS são:

1. AMAR PARA SUPERAR O ÓDIO
2. AMAR POSSIBILITANDO PERDOAR
3. AMAR AS DIFERENÇAS “O DIFERENTE”
4. AMAR O INIMIGO
5. AMAR PARA DAR FORÇA E CORAGEM
6. AMAR NO EMPENHO PELA PAZ
7. AMAR A JUSTIÇA
8. AMAR AO PONTO DE DOAR-SE

IDENTIDADE DA IGREJA DIÁCONAL

O Espírito Santo atuando na igreja como agente motivador para uma DIÁCONIA EFICAZ, suas Dimensões são:
O ESPÍRITO VIVIFICA E TRANSFORMA o Espírito Santo como Luz:
a) TRANSFORMA
b) DÁ COMUNHÃO
c) CAPACITA
d) MOTIVA A PARTILHAR

A Igreja como comunidade, é o local da chegada, e o PONTO de PARTIDA do FORTALECIMENTO da FÉ, da esperança e o AMOR. Ela é a COMUNHÃO dos SANTOS, onde é FORTALECIDO O NOVO TESTEMUNHO.

FÉ DIÁCONAL SENDO ESTABELECIDA:

1. CELEBRA
2. ESTUDA A BÍBLIA
3. CANTA
4. ORA

FÉ DIÁCONAL CONCRETIZANDO:
Passos no estabelecimento da DIÁCONIA na fé

Os muros da Igreja
Vencer Barreiras
Ultrapassar Fronteiras
Vivenciar o AMOR.
IDENTIDADE DA IGREJA DIÁCONAL

Exemplos do caráter de Jesus em sua atuação DIÁCONAL, para o Reino de Deus:

A) ABNEGAÇÃO “Não veio para ser SERVIDO, mas para SERVIR” MT. 20:28

B)RESPEITO AS PESSOAS Mc. 5:21-43 V.2 Chegou um dos principais... – “...E foi com ele...” V. 24 “... Filha...”V.34.

C) COMPAIXÃO INCONDICIONAL Jesus ao ser procurado, não indagava com finalidade de conhecer a razão do estado da pessoa, mas curava-o e PERDOAVA os pecados. Mc 1:40-45 ...Movido de Íntima Compaixão... V. 41.

D) ATENCIOSO Jesus propunha-se a estar com o povo dentre eles os considerados como escoria social:
a) Prostitutas b) Estrangeiros c) Leprosos d) Mendigos
e) Cegos e) Paralíticos f) Publicanos

E) ENSINO SISTEMATIZADO Mt. 18:1-3

F) ENSINA A PARTILHAR Mt. 13:17
... Cinco pães e dois Peixes... Mt. 13:12 ...Que tem, se dará...será tirado...

G) COMPANHERISMO Lc. 24:13-55

H) VIVER O QUE PREGA

Fontes de Consulta:

NETO,Rodolfo Gaede. A Diaconia de Jesus,Editora Paulus,São Paulo/SP.2001.
NORDSTOKKE,Kjell(org),Diaconia: Fé em ação,Editora Sinodal, São Leopoldo/RS.1995.

1ª aula "DIACONIA"


DIACONIA I
(1º AULA)

RUMO A UMA IGREJA DIACONAL

QUE IGREJA SOMOS, E QUE IGREJA QUEREMOS SER ? Quais as dimensões diaconal e a prática concreta desta dimensão?

COMO PONTO DE PARTIDA TOMEMOS A CONVICÇÃO DE QUE A IGREJA DO NOSSO TEMPO É VOCACIONADA A SER IGREJA DIACONAL.
A despeito de nossa sociedade ser geradora de miséria, e ser uma sociedade excludente para milhões de brasileiros, a Igreja não pode limitar-se apenas ao discurso.

SEMANTICA DA PALAVRA:
“DIAKONIA” palavra grega que significa SERVIÇO. NO NOVO TESTAMENTO encontramos o verbo DIAKONEIN, que significa servir, principalmente na mesa. Inicialmente era termo sem conotação religiosa, indicando trabalho de escravos e humildes:
Obs: Segue tabela escrita no quadro.

APOSTOLO PAULO DESIGNA ESTE TERMO DIAKONEIN COMO MINISTERIAL. Aparentemente insignificante, encontramos um destaque no fato do próprio Jesus apresentar-se como “DIACONO”. (POIS O PRÓPRIO FILHO DO HOMEM NÃO VEIO PARA SER SERVIDO, MAS PARA SERVIR “DIAKONEIN” E DAR A VIDA EM RESGATE POR MUITOS) Mc. 10:45.

CONFRONTANDO DUAS VERTENTES IMPORTANTES

A: Realidade Humana: dia-a-dia deparamos com a realidade tais como: ECONÔMICA, SOCIAL, POLÍTICA E RELIGIOSA. Que estratificam e indicam diferenças e desigualdades entre pessoas de uma mesma sociedade. Dividindo por: classes, saberes, raças e credos.

JESUS COMO PRINCIPIO: Neste universo do dia-a-dia há um elemento de muita importância na atuação cristã.: A “SENSIBILIDADE”. LER JOÃO 4:1-30. Jesus foi sensível, atencioso e promoveu o conforto a uma alma aflita.

B: Fé Cristã como ponto de partida: crê em Deus é uma característica do cristão. Encontramos na bíblia o projeto de Deus para um mundo de paz e justiça, vida fraterna e digna para todos, que haja respeito, compreensão, cooperação e amor.

(Ef.2:10) – (Gl.5:22-23). FRUTOS.

Para nascer uma nova forma, a primeira
Necessita morrer, ou melhor, transformar-se.
Cumprindo sua função produzir vida.

RUMO A UMA IGREJA DIACONAL
A FÉ POR NATUREZA DIACONAL

ATRAVÉS DA ORAÇÃO CONVERSAMOS COM DEUS, TEMOS COMUNHÃO COM ELE, E COM CRISTO.
O termo “ORAÇÃO”, contem duas palavras que esclarece as duas dimensões da Fé:ORAR+AÇÃO.
REFLEXÃO SOBRE A PALAVRA ORAÇÃO

RUMO A UMA IGREJA DIACONAL

Fontes de Consulta:

NETO,Rodolfo Gaede. A Diaconia de Jesus,Editora Paulus,São Paulo/SP.2001.
NORDSTOKKE,Kjell(org),Diaconia: Fé em ação,Editora Sinodal, São Leopoldo/RS.1995.

1ª Escola Bíblica Assembléia de Deus Guapimirim/RJ

video